Realidade Virtual: 6 setores transformados pela experiência imersiva

A realidade virtual permite que o consumidor tenha uma experiência imersiva transformadora em vários setores da economia. Veja alguns!

Realidade Virtual: 6 setores transformados pela experiência imersiva

Entre as tendências que fazem parte da transformação digital, a realidade virtual é uma das que mais provocam curiosidade. A ideia de poder criar uma experiência imersiva e, assim, levar as pessoas a vivenciar uma realidade diferente da vivida ainda parece algo saído de um filme de ficção científica.

Porém, essa tecnologia vem se expandindo rapidamente e pode ser utilizada para revolucionar vários segmentos da economia.

Neste post, vamos apresentar alguns exemplos do efeito da realidade virtual e da criação de experiências imersivas em diferentes segmentos. Confira agora!

Setores transformados pela Realidade Virtual

1. Entretenimento

Várias pessoas costumam associar a realidade virtual ao entretenimento. Isso acontece porque esse segmento foi pioneiro em RV: em 1995, a Nintendo já lançava o primeiro dispositivo de realidade virtual, o Virtual Boy. Embora ele não tenha alcançado o sucesso esperado, a aposta não foi um erro. E, hoje, as plataformas concorrentes – X-Box e Playstation – já desenvolvem suas próprias soluções de realidade virtual.

Falar em entretenimento não significa falar apenas em games, mas também em televisão, filmes, e música, que podem ser vivenciados de uma maneira nova com a ajuda de dispositivos de RV. Quer ver?

A Google te ajuda. Ela desenvolveu um projeto chamado Spotlight Stories, que consiste em narrativas imersivas de caráter experimental, para explorar os limites dessa tecnologia. Vale a pena conferir e observar os avanços rápidos que estão sendo alcançados em curtos períodos.

2. Saúde

Do entretenimento para a saúde, outro segmento que vem passando por transformações interessantes graças à realidade virtual e à possibilidade de desenvolver uma experiência imersiva. Alguns exemplos de usos possíveis incluem: auxiliar no tratamento de saúde mental; colaborar para o alívio da dor; facilitar os processos de reabilitação, como a fisioterapia; permitir a simulação de cirurgias, para o treinamento de equipes médicas; possibilitar o diagnóstico de doenças com menor uso de técnicas invasivas.

3. Educação

Na educação, a realidade virtual é promissora como uma tecnologia capaz de tirar o aprendizado do âmbito teórico e levá-lo para a prática, vencendo obstáculos como custo ou risco. Essa pode ser uma forte solução para os problemas de baixo engajamento com a vida escolar que muitos estudantes enfrentam.

Imagine só: em uma sala de aula, em vez de ouvir o professor falar sobre o clima e a vegetação do deserto, os alunos podem ver e interagir com um deserto. Em vez de ouvir sobre a Guerra, podem assistir de maneira imersiva as principais batalhas. Em vez de ouvir sobre o espaço, podem viajar virtualmente por ele. Em vez de ouvir sobre os elementos químicos, podem fazer experimentos em um ambiente 100% seguro. Não é o máximo?

4. Mercado imobiliário

No mercado imobiliário, a realidade virtual é uma solução para aumentar o potencial de vendas. Tipicamente, um cliente interessado em comprar um imóvel não vai fechar o contrato antes de vê-lo de perto. Fotos podem ser um bom começo, mas passam longe de ser o suficiente. Enquanto isso, o tempo necessário para levar um cliente a várias visitas a fim de escolher o imóvel certo é muito grande. Ou seja, essa dinâmica acaba reduzindo a produtividade de uma agência de imóveis.

Com a ajuda da RV, porém, é possível conhecer vários imóveis sem nem tirar o cliente de casa. Por meio de visitas virtuais, que simulam todos os aspectos de uma visita real na nova casa, o processo de escolha e compra se torna menos burocrático, tanto para o cliente quanto para o corretor.

5. Turismo

Assim como no caso do mercado imobiliário, uma grande tendência da realidade virtual está no segmento de turismo. Sim, já é possível o cliente conhecer o local de destino antes de ir até lá. Essa é uma vantagem para o hotel: mesmo que o viajante nunca tenha se hospedado lá, ele pode ver toda a estrutura e, assim, se sentir mais confiante para adquirir a hospedagem.

A realidade virtual ainda pode ser utilizada por hotéis como uma opção de lazer para os hóspedes, proporcionando atividades mais interativas e tecnológicas.

6. Comércio varejista

O comércio varejista também pode se beneficiar da realidade virtual? Sem dúvidas! Como esse segmento é bastante diversificado, aqui vão alguns exemplos:

  • Em uma loja de roupas, o cliente pode experimentar várias peças sem precisar se trocar de verdade;
  • Em uma loja de móveis, o consumidor pode decorar um ambiente simulado para decidir quais são as melhores combinações de itens;
  • Em uma concessionária, o cliente pode fazer test-drive de diferentes carros, enquanto recebe informações sobre suas principais características e recursos.

A realidade virtual vai ainda mais além. Se a maioria dos clientes tivesse o equipamento em casa, seria possível criar uma loja completa com a tecnologia RV, e os clientes poderiam fazer as compras de casa, mas com uma experiência idêntica à real.

Conclusão

Esses foram apenas alguns exemplos de segmentos que podem se revolucionar com o uso da realidade virtual e o desenvolvimento de uma experiencia imersiva.

A tendência é que as empresas atravessando a transformação digital levem essa tecnologia cada vez mais longe e descubram outros usos, outros benefícios.

Quer saber mais sobre esse tema? Aproveite para assistir um vídeo curtinho do nosso projeto Webpill, explicando as tecnologias de experiência imersiva. Será uma oportunidade ótima para entender a diferença entre Realidade Virtual, Realidade Aumentada e Realidade Mista.

Escrever uma resposta ou comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Junte-se a nossa comunidade e saiba como promover a Transformação Digital em sua empresa.

Inscreva-se na nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos exclusivos que vão revolucionar a sua empresa!

Seta